30/06/09

Era uma vez... ( A magia de uma estrela)


Era uma vez...
(Lembram-se de Coisa Nenhuma e o Lago da Vida?)
Era uma vez um dia.

Nesse dia Eu seguia o Caminho, sozinho como ele era.
Era Primavera, talvez Outono. Das suas mãos nasciam estrelas.
Pintava nelas a fantasia que oferecia a quem passava.
Olhava depois o rosto contente daquela gente a quem se dava e reparava que os olhos sorriam, os corações palpitavam... e nas suas mãos novas estrelas rebrilhavam.

Ora nesse dia, estava Eu à janela com o mundo na sua frente.
No peito a magia e na mão uma estrela dourada.
Do outro lado da estrada, outra janela.
Dessa janela Alguém acenou.
E a estrela dourada, luzidia, rodopiou contente, saiu e logo pousou naquela janela que Alguém abriu.

Alguém encantou-se pelas estrelas.
Eu e Alguém ficavam então às suas janelas. Mundos distantes, vidas paralelas. Emoção das palavras e dos sorrisos, paraísos de fantasia, olhar além da realidade...
E assim crescia aquela amizade num querer profundo.

Através das janelas viradas p'ro mundo Eu mostrou a Alguém o segredo das suas estrelas.
Fizeram delas o seu brinquedo. Percorreram a Terra e o Firmamento...
Inventaram cometas, constelações... e de mãos dadas espalharam estrelas às multidões!
Partilharam a magia da partilha, a alegria das descobertas, portas abertas num distante/tão perto!

***

Mas um dia Alguém não veio.
Nem no seguinte...
Abriu-se um deserto, um espaço vazio.
Num quase arrepio: "Que aconteceu?"
E Eu, à sua janela percorria caminhos.
Choviam perguntas, formulavam-se desejos
e pelas estrelas enviou mil beijos de preocupação...
...mas nem uma só estrela surgia da escuridão!

E o tempo não pára. E o Tempo avança. E sem perder a Esperança Eu procura, vigia, até que um dia encontra Alguém numa outra janela!

Sente uma lança cravada no peito.
Cresce o deserto, o espaço vazio.
Na sua janela o lugar é mais frio
A vida não tem o mesmo deleite.

(A fantasia de Alguém seguira um outro rumo!
Estava mais bela!
Mas em outra janela e tinha agora um novo perfume...!)

Então Eu aceita a partida e aquele tempo de um Tempo que aconteceu.
Entrega a Saudade nas águas profundas do Lago da Vida
...e segue a jornada da vida de Eu.

***

Mais uma etapa ali finaliza.
Novas começam a todo o momento...
Mas no seu pensamento e à sua janela
Eu ainda recorda aquele dia

e toda a magia
que nasceu de uma estrela!


Beijão para ti, Amiga! Ctgo sempre!
Bem hajas pelo que partilhámos!


Filó (2009)

6 comentários:

Cacilda disse...

Não quero dizer sempre o mesmo.
Hoje digo só que é fabuloso e penso que percebi.

bjos

Cacilda

Filomena disse...

Obrigada Cacilda!
A sua opinião é sempre bem vinda!

Este trabalhinho poderá ser visto como continuação de um outro que oportunamente colocarei. Espero um dia, quem sabe, poder continuar, mas aí com um outro final mais alegre.

Beijinho
Filó

Anónimo disse...

Filó,amiga,estou encantada com este teu trabalho, não sei explicar-te, senti-o, como que fosse um reflexo de algo que já senti.A vida tem destas coisas.Confesso que gostei.

Parabêns, nunca é demais dar-te os parabéns, pelo que escreves e pela pessoa magnifica que és!

Beijinhos. Zézinha Coelho

Filomena disse...

Zézinha

É assim mesmo!
Resta-nos o caminho à nossa frente e aquele bocadinho de algo muito bom que permanecerá para sempre.

Obrigada pelo comentário!
É sempre muito bom ver-te no meu cantinho!

Beijinho
Filó

A Primavera da Vida disse...

Que maravilha, até parece que andei para trás no tempo...
Beijinhos
Conceição

Filomena disse...

Olá Conceição!
Obrigada por ter vindo e pelo seu comentário.
Volte sempre!

Bom fim de semana!
Beijinho
Filó