30/06/09

Pedes-me um poema


Pedes-me um poema como quem reza.
Como quem busca uma verdade escondida.
Como quem espera num verso a própria vida
retratada com mais brilho, mais beleza.

Pedes-me um poema como que chora
por palavras perdidas nalgum lugar...
... Como seu eu tivesse para te dar
respostas, quando o tempo se demora!

Pedes-me um poema, e eu te ofereço
não um, mas todos os que já criei
nas ondas onde a vida me levou

É pouco!... Mas é onde me reconheço
...Onde na verdade sempre me dei
...Onde me posso dar tal como sou.

Filó (2007)

3 comentários:

Cacilda disse...

Outro poema lindíssimo!

Pedir para fazer poemas é fácil,
fazê-los é que é difícil.

Beijinhos

Cacilda

Anónimo disse...

Palavras, para quê?! Tu tens um dom que contagia nos poemas que escreves.As tuas palavras são bálsamos de bem estar.

Obrigada.Bjos.Zézinha Coelho.

Filomena disse...

Amigas Cacilda e Zézinha
Obrigada pela vossa presença e pelo carinho transmitido!
Beijinho para ambas
Filó