15/04/09

Minha Terra



Nada do que possa dizer
será suficiente!
Nada!!

Narrar
os empreendimentos que geraste
os monumentos que guardaste
as histórias que conténs
ou desde onde tu vens...?
Não basta!

Falar
das ruas estreitinhas
das casas velhinhas...
dos jardins que florescem
das avenidas que crescem
se multiplicam
e me levam
até ao mar...?
É pouco!

E este brilho que te abraça
esta Luz que te enlaça
esta gente que traça
o seu caminho contigo?

E este encanto/magia
que de ti irradia
no sorriso/alegria
do olhar de um amigo?!...

E esta força, este encanto
esta Paz, este manto
este aconchego que canto
e que de ti extravasa...?
E a harmonia singela?!
Este quadro/aguarela
que nos segue e apela
que sempre voltemos a casa...?

... ...

Sim, és tu! Terra abençoada
onde caminho minha estrada
onde piso o meu chão,
onde guardo as memórias
as minhas derrotas/vitórias
e de onde como o meu pão!...
... ...
E nada do que possa dizer
será suficiente!

Nada!

Filó (2006)



4 comentários:

Anónimo disse...

Lindo, lindo, lindo!!!... Enternecedor até ás lágrimas, o poema e o filme que o acompanha. Parabéns, gostei muito e senti cada frase, cada palavra, como se fossem minhas pois é desta forma que também amo o nosso cantinho. Fernanda

Filomena disse...

Obrigada, Fernanda, pelo carinho!
Falar da nossa terra é sempre pouco quando a trazemos no coração...
Beijinho
Bem haja!
Filó

Anónimo disse...

.....e mais lagrimas salgadas ou melhor ,olhos mulhados e coração apertado .
E um sentir imenso as palavras destes versos que falam de minha
terra e que de tão lindos ...
Até fazem chorar .

Muito bonito Filó
obrigado

jinhos-ivone

Filomena disse...

Ivone
Obrigada pelas palavrinhas!
Fico feliz por saber que gostou.

Espero que as férias tenham sido gratificantes e o regresso cheio de boas energias.
beijokas
Filó