12/03/09

Maresia




Bruma húmida, suave, revigorante
Mar, brisa,... Sabor a sal...
Destino, Natureza... e num instante
O Tempo vem, e nada voltará a ser ali igual.

Marca indelével... ...imperceptível
No penhasco a cada nova rebentação.
Testemunha firme e segura de cada nível
Do Tempo que passámos: _evolução!

Meu mar, meu silencio, meu enredo
O meu Ser é maresia, sabor a sal
Penhasco esculpido pelo Tempo, pela erosão

Natureza, Destino... um segredo...
Dor e Prazer, Trevas e Luz, Bem e Mal...
E até ao confim dos tempos em mutação.

Filó (2006)

Sem comentários: