28/03/09

Vasco da Gama



Vasco da Gama

...

Quem te ama
e quem te amou?
Destemido navegador
que um dia embarcou
nas caravelas!!
...
E as donzelas?!!
A nobres damas da altura...
Também seguiam à aventura
com os maridos?
Levavam mantos
e vestidos
e toucados
e brocados
e coisas que tais?!

Ou pegavam os jeans
e os aventais
muito marotas
tachos e panelas
batatas, cebolas
arroz e aveia...
para não haver ceia
de solas rotas?!
...
Vasco da Gama...
Ganda Marujo!
...
Diz-me se a dama
te queria sujo
ou lavava a farpela
na água do mar...
Sim! Já que a potável
não devia chegar
para esses atavios!!

Esses navios
até modernaços
para esses tempos
tinham os seus inconvenientes!

Ganda coragem!!!

Como fazias
essa viagem
meio à deriva
meio perdido e meio achado?

Como passavas aquele bocado
em que a fome roía
e mais não havia
para fazer?

Em tantos meses
anos, não sei...
também terias
horas de lazer
puro prazer
é o que eu creio!

Cantavas canções?
Dançavas de roda?
... já nem sabias o que estava na moda!!...
Nem tinhas o Quim Barreiros e a Cabritinha...
nem um CD dos "Trovantes"!!...
Pois, isso foi antes destas modernices!
Tempo que era só de chatices
gigantes e guerra.

Partir assim para outra terra,
para outro mar...
sem GPS, FAX ou fone...
Nem um pombo correio
para comunicar
que tavas cheio!
Que só querias voltar
mas já nem sabias que voltas dar...

Nem um olá para a famelga!

Era só melga, pulga, piolho
e num piscar de um olho
sem "vitamitas" vinha o escorbuto!!

Ahhhh! Mas tu eras astuto!
Com estatuto de navegador
levaste a melhor
sempre vencendo a intempérie.
Um caso sério
para as sereias
e tempestades
que queriam dar-te a volta
mudar-te a rota
e as tuas vontades!

Guerreiro dos mares!
Forte e valente!
Grande na história
e na memória
da nossa gente!

...

E agora: novidade!
Sente o arrepio:
-Tu não morreste!

Vives ainda
nesta cidade
que um dia te viu
e onde nasceste!

E agora olha ali
bem de fronte à praia...
(A de Sines, qual havia de ser?)
Sentindo o calor da tua terra
ali estás tu
qual sentinela
forte, possante...
esperando a donzela
amada e amante
que um dia distante
deixaste de ver...

Sabes do que vai por aqui?
Tens lido todos os jornais?
Sentirte-ás hoje feliz?
Sabes que há pontes
centros comerciais
hospitais,avenidas
jardins e ruas...
Todas só tuas
por todo o país?

E que dentro de ti
bué gente come?
Pois é!

Come e consome...
passeia e dorme...

...enorme ...
mais do que antes!

Mais que os gigantes
que enfrentavas...

E isto
nem tu sonhavas!

Ah Gama, Gama!

Por poetas cantado!
Entraste no fado
e por todo o lado
se ouve o louvor!

O grande Camões
já te louvou
e te cantou.

Sem qualquer engano
és Gama e honra
de ser Português
E acima de tudo
Alentejano!

...

E agora que vês
o teu lugar na história.

A glória da tua valentia
que jamais terás fim...

Relê estas linhas
e diz-me se algum dia

alguém te escreveu
um poema assim!!!!

Filó (2008)

3 comentários:

Jorge Brites disse...

Querida amiga !
Simplesmente maravilhoso, absolutamente genial, aliás de ti, tudo tem cor, beleza e valor.
Obrigado por me deliciares com essa tua naturalidade nas palavras e igualmente por lembrares a nossa terra ( também já é tua, eheheh ).
Um beijo e o meu Sorriso

Jorge Frutas

Anónimo disse...

Filó,

Se o Vasco da Gama pudesse responder, diria que nunca alguém lhe escreveu um poema assim.

Está soberbo!...

Estou encantada com os teus lindos poemas.

Cacilda

Filomena disse...

Obrigada a ambos, pelo carinho!

Aos poucos irei colocando mais...
Palavras (escritas) é coisa que não me falta!! ((risos))

Lindo fim de semana!
Beijo
Filó