18/03/09

Ser Poeta


Perguntaram-me um dia o que é ser Poeta. Com se eu soubesse!!...
"Poeta" é ser nada e é ser tudo! É ser igual a todo o mundo. Apenas e talvez ter o condão de embalar as palavras e partir... partir para onde tu vais...
Ser "Poeta" é cantar a canção que tu cantas. É ir e ter a mesma emoção, as mesmas mantras, semelhantes, iguais... cantá-las, e nada mais!
É deixar livre a caneta, deixar fluir o fluxo, e falar, e cantar, mas sem luxo, aquilo que vai cá dentro...que faz bem... que faz mal... pois, se não há regras, o que é a poesia afinal?
É o dia a dia, igual ao meu, igual aos demais... É a calmaria, os vendavais... o encanto, a magia, o manto de bravura, de mansidão...
E a beleza em questão é ver as mudanças, os bailados, as danças da atmosfera... Pois se aqui nesta terra tudo se completa!!!
E talvez o "Poeta" seja aquele que fala por ti o que não falas, o que levanta o véu de daquilo que calas daquilo que te escondes...
Talvez o "Poeta" seja o mensageiro da tua alma, o que em ti vibra, o que te acalma, ou aquele até que te leve a pensar: - eu sou assim! Eu não estou só!
Tu não estás só! Eu estou aqui! Estamos todos! Somos o mesmo barro a mesma energia deste Universo.
...e às vezes, num verso o "Poeta" aparenta loucura, talvez demência, talvez um pouco... Foge ao conceito estabelecido, mas eu duvido que seja louco!

Mas, afinal que é ser "Poeta"?

Poeta és tu! Que vibras com a mensagem!
Poeta és tu! Que vês Poesia nas palavras que o "Poeta" escreve!
Pois se o "Poeta" tem a coragem talvez seja a ti, POETA, que ele a deve!

Filó (2006)


Sem comentários: